QUALIDADE DE VIDA NA PERCEPÇÃO DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS

Autores

  • Anieli Andressa Smyk Faculdade CESUSC
  • Isadora Garcia Faculdade CESUSC
  • Isadora Silveira de Almeida Faculdade CESUSC
  • Marília dos Santos Amaral Faculdade CESUSC

Resumo

A presente pesquisa tem por objetivo compreender a percepção dos idosos institucionalizados sobre qualidade de vida. Com esse intuito, realizou-se uma pesquisa de campo, de caráter exploratório e qualitativa numa Instituição de Longa Permanência de Idosos (ILPI), em Florianópolis. Para a coleta de dados foram utilizadas entrevistas semiestruturadas com 09 idosos residentes, cujos dados e informações ao final de cada entrevista foram registrados em diário de campo pelas pesquisadoras. Os resultados obtidos foram estudados a partir da análise do discurso proposta por Mary Jane Spink, denominada práticas discursivas. A partir das entrevistas, foi possível perceber que há aproximações, mas também diferenças significativas entre os discursos dos idosos e os conceitos encontrados na literatura sobre a percepção e conceito de qualidade de vida, uma vez que a teoria a entende como intimamente relacionada à garantia de condições para que o sujeito possa se desenvolver plenamente, incluindo nesta definição diferentes aspectos e dimensões da vida, tais como bem-estar, espiritualidade, condições socioeconômicas, contexto da cultura, estado emocional e interação social. Os discursos demonstraram que para alguns idosos a qualidade de vida realmente está relacionada ao bem-estar e ao convívio social confirmando a produção de conhecimento científico sobre o tema, enquanto que para outros, qualidade de vida é percebida por questões mais pontuais e cotidianas, como simplesmente ter um lugar adequado para fumar e tomar a medicação na hora exata, sem necessariamente vincular qualidade de vida à ausência de doença e longevidade tal como salienta a literatura especializada. Levando isso em consideração, notou-se a importância de partir da percepção do próprio idoso para entender como se define qualidade de vida, considerando a maneira singular de entender o fenômeno abordado na pesquisa. Com isso, entende-se o quanto é relevante para a psicologia o exercício de escuta e de construção de conhecimento que valorizem o saber dos próprios sujeitos do discurso, ou seja, o modo como o idoso se sente em seu contexto de vida a partir das dimensões que ele considera importante.

Downloads

Publicado

11/11/2019

Como Citar

Smyk, A. A. ., Garcia, I. ., Almeida, I. S. de ., & Amaral, M. dos S. . (2019). QUALIDADE DE VIDA NA PERCEPÇÃO DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS. CADERNOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 4(1). Recuperado de https://cesuscvirtual.com.br/index.php/CIC-CESUSC/article/view/426

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>