CHÁ DE DIREITOS: ATUAÇÃO DA PSICOLOGIA COMUNITÁRIA EM PROJETO DE GERAÇÃO DE RENDA NO CONTEXTO DO CRAS CANASVIEIRAS

Autores

  • Ana Claudia Mathias Faculdade CESUSC
  • Angelina Pires Faculdade CESUSC
  • Sheyla Falconi Faculdade CESUSC
  • Marília dos Santos Amaral Faculdade CESUSC
  • José Guerrero Peixoto de Mattos Faculdade CESUSC

Resumo

O trabalho desenvolvido no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) propõe ações de proteção social básica visando a prevenção a situações de vulnerabilidade e risco social, a promoção de acesso a direitos e o fortalecimento dos vínculos familiares e das redes de apoio dos(as) usuários(as) de cada território. Neste contexto, o projeto CHÁ (Conhecimento, Habilidades e Atitudes) de Direitos foi construído pela equipe do CRAS com a ideia de fortalecer as funções protetivas às famílias acompanhadas e possibilitar maior acesso dos(as) usuários(as) aos serviços oferecidos. Por meio do acolhimento a pais, mães, gestantes e cuidadores(as) de crianças, o projeto proporciona um espaço de troca de conhecimentos e de escuta em que são debatidos assuntos como políticas públicas, direitos e economia solidária. O projeto teve início em fevereiro de 2019, os encontros são mensais e abertos à comunidade, com duração de quatro horas e tendo em média 15 participantes. Em formato de roda de conversa, os diálogos são mediados pela equipe, buscando estimular a autonomia e a emancipação dos(as) usuários(as). A participação às vivências inicialmente foi estimulada através das trocas de roupas infantis, mas observou-se o interesse dos(as) participantes por atividades voltadas à geração de renda, principalmente pela dificuldade relatada pelas mães em conseguirem emprego frente a falta de vagas em creches e escolas na comunidade. Diante disso, foram planejadas coletivamente oficinas de geração de renda, que já ocorreram em diferentes espaços comunitários, para futuramente construir uma cooperativa. Através desta experiência compreende-se a importância da constante reavaliação coletiva dos projetos, de modo que atenda às demandas apontadas pela comunidade, tal como propõe a perspectiva da Psicologia Comunitária. Conclui-se, assim, que a prática do(a) psicólogo no CRAS implica, além do engajamento em práticas preventivas à vulnerabilidade social, valorização do saber popular, o reconhecimento das potencialidades da comunidade e a promoção de acesso a direitos e à cidadania como forma de fortalecimento da autonomia.

Downloads

Publicado

11/11/2019

Como Citar

Mathias, A. C. ., Pires, A. ., Falconi, S. ., Amaral, M. dos S. ., & Mattos, J. G. P. de . (2019). CHÁ DE DIREITOS: ATUAÇÃO DA PSICOLOGIA COMUNITÁRIA EM PROJETO DE GERAÇÃO DE RENDA NO CONTEXTO DO CRAS CANASVIEIRAS. CADERNOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 4(1). Recuperado de https://cesuscvirtual.com.br/index.php/CIC-CESUSC/article/view/425

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>