A (IN)FUNDAMENTABILIDADE DO DIREITO À LIBERDADE FRENTE AO ABORTO

  • Lorenza Tramontina Bergonsi Faculdade CESUSC
  • Mylena Cisne de Souza Faculdade CESUSC
  • Denise Maria Nunes Faculdade CESUSC

Resumo

Dois mil e dezoito, ano do septuagésimo aniversário da Declaração dos Direitos Humanos, que declara em seu preâmbulo a dignidade como fundamento da liberdade, da justiça e da paz mundial. Pondera-se, então, que dignidade e liberdade são conceitos que se retroalimentam, não podendo existir um na falta do outro. Por isso, apresentamos nosso projeto de pesquisa, que visa analisar o entendimento da ideia de liberdade, enquanto direito fundamental, frente ao aborto. Para isso, a partir da conceitualização de liberdade para o Direito, para a Filosofia e para as Ciências Sociais, construiremos um ‘tipo ideal’ que, segundo Weber, aponta “o caminho para formação de hipóteses”, além de conferir meios expressivos à realidade. Criado nosso tipo ideal, o confrontaremos com dados obtidos em futura pesquisa empírica, que ainda terá seu recorte espacial definido. E, para dar suporte e início ao nosso projeto de pesquisa, levantamos alguns dados da ONU e da Pesquisa Nacional de Saúde sobre o aborto, colocando em destaque a real situação desse entrave.
Publicado
2018-10-13
Como Citar
BERGONSI, Lorenza Tramontina; SOUZA, Mylena Cisne de; NUNES, Denise Maria. A (IN)FUNDAMENTABILIDADE DO DIREITO À LIBERDADE FRENTE AO ABORTO. CADERNOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, [S.l.], v. 3, n. 1, out. 2018. ISSN 2526-0537. Disponível em: <http://cesuscvirtual.com.br/revistas/index.php/CIC-CESUSC/article/view/269>. Acesso em: 15 fev. 2019.