QUALIDADE DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS

ANÁLISE DOS FATORES BIOPSICOSSOCIAIS

  • Cristine de Souza Faculdade CESUSC
  • Mirian Kelli Decker Faculdade CESUSC
  • Priscila Moura Werlang Faculdade CESUSC
  • Vilson Miorim Faculdade CESUSC
  • Marília dos Santos Amaral Faculdade CESUSC

Resumo

O presente artigo tem como objetivo identificar os fatores biopsicossociais que influenciam na qualidade de vida dos estudantes universitários. A qualidade de vida pode ser definida como a sensação de bem-estar e felicidade no desempenho de funções físicas, intelectuais e psíquicas relacionadas ao contexto ao qual o indivíduo pertence. Neste sentido, para atender o objetivo proposto, realizou-se uma pesquisa descritiva de abordagem quantitativa cujos dados foram analisados a partir da análise estatística descritiva. Os participantes da pesquisa foram 41 estudantes universitários de três diferentes fases – primeira, quinta e nona fases – do curso de Psicologia de uma faculdade particular da Grande Florianópolis. Os participantes responderam um questionário sociodemográfico e um instrumento denominado “Questionário de Qualidade de vida” com 28 itens distribuídos nas dimensões – biológica, psicológica e social –, elaborado especificamente para esta pesquisa. Para a análise dos resultados, realizou-se o cruzamento dos dados que resultou em correlações entre as variáveis como, por exemplo, fases cursadas pelos respondentes no curso de Psicologia e os itens do questionário de qualidade de vida. Dos resultados, a dimensão biológica – no atributo dos exercícios e atividades físicas –, teve o resultado mais expressivo, apresentando um percentual de 30% na primeira fase, 60% na quinta fase e 87,5% na nona fase. Esse crescimento expressa um grau de satisfação/ necessidade de realizá-las.  Na segunda dimensão – psicológica – o resultado sugeriu que no atributo bem estar subjetivo, os estudantes “quase sempre” possuem uma qualidade de vida. A terceira refere-se à social, que teve como resultado significativo o atributo ambiente, ao quais os estudantes responderam que “raramente” estão satisfeitos com o tráfego na cidade em que vivem. Dentre os vários resultados tanto a dimensão biológica quanto a psicológica e social indicaram um aumento, mesmo que não proporcional, na qualidade de vida conforme o avanço das fases do curso.
Publicado
2018-10-07