QUANDO AS MULHERES OCUPAM OS ESPAÇOS PÚBLICOS

O CAMINHAR DE UMA LUTA POR DIREITOS – O CASO DE SANTA CATARINA

  • Tamires Tavares Pacheco Faculdade CESUSC
  • Denise Maria Nunes Faculdade CESUSC

Resumo

A construção de uma narrativa histórica é fundamental para a elaboração de identidades e problemáticas no campo do debate político. Nesse sentido, o presente trabalho se propõe a rememorar pontos importantes na história das mulheres, principalmente no que concerne a ocupação dos espaços públicos, e sua gradativa inserção no campo da política formal, tendo como recorte aqui a atuação no poder legislativo. Para tanto, se fez necessário um desbravamento histórico, com o intuito de pinçar ao longo dos anos os momentos que as mulheres abriram a machadadas a trilha para um local que historicamente lhes foi negado: o púlpito. Tal percurso é traçado desde o início do século XX, com a ruptura do status quo ocasionada pelas sufragistas, até o período da Ditadura Civil-Militar, onde caminhos foram retraçados e a perspectiva de gênero e suas formas peculiares de exclusão ficaram mais evidentes. Trata-se de um apanhado histórico que culmina na conclusão estarrecedora, porém, já esperada: não existe representação das mulheres na política formal. A trilha galgada pelas mulheres que terão seus nomes citados nesse artigo resultou em uma Constituição de cunho cidadã, que preza pela igualdade, porém, após longos 30 anos de sua promulgação, permanece encontrando dificuldades de efetivar direitos sobre questões de gênero.
Publicado
2018-07-05
Como Citar
PACHECO, Tamires Tavares; NUNES, Denise Maria. QUANDO AS MULHERES OCUPAM OS ESPAÇOS PÚBLICOS. CADERNOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, [S.l.], v. 3, n. 1, jul. 2018. ISSN 2526-0537. Disponível em: <http://cesuscvirtual.com.br/revistas/index.php/CIC-CESUSC/article/view/202>. Acesso em: 15 fev. 2019.